Reflexão de Natal

Por <b>Rodrigo Silva</b>

Por Rodrigo Silva

Arqueólogo

O Natal, é motivo de felicidade, para alguns, é um momento esperado, enquanto para outros, acentua os sentimentos de depressão. Até pessoas que não têm relação alguma com Jesus costumam desejar “Feliz Natal”. 

 

Em um episódio, no Egito, me surpreendi ao encontrar duas árvores de Natal bem montadas no aeroporto do Cairo, acompanhadas de mensagens de “Merry Christmas” para todos que chegavam. Isso é surpreendente em um país onde 95% da população é muçulmana. Até mesmo amigos israelenses e judeus, que não acreditam em Jesus como o messias, já me desejaram um Feliz Natal. 

 

A data é realmente interessante, especialmente considerando que sabemos que Jesus não nasceu em 25 de dezembro. Pessoalmente, acredito que Jesus não nasceu em 25 de dezembro, mas, considerando que essa é a data que todos celebram ou, pelo menos, lembram o nascimento de Jesus.

Natal

O ontem e o hoje

 

Analisando o contexto da  época do nascimento  e comparando-o com o contexto atual, vejo muitas similaridades. Destaco duas coisas: um povo carente de bons líderes, acreditando mais nos líderes que tinham do que naqueles que precisavam, e, ao mesmo tempo, oportunistas aproveitando para promover suas agendas políticas, partidárias e religiosas.

 

Outro aspecto intrigante é a expectativa da chegada de um Messias, uma criança que, segundo a crença, surgiria naquele ano. Autores romanos da época, como Tácito, Suetônio e Flávio Josefo, testemunham essa expectativa. Havia a ideia de que da Judeia surgiriam os dominadores do mundo. Os magos, possivelmente da Pérsia, seguiram uma estrela e, baseados em profecias, trouxeram presentes para o recém-nascido Rei dos Judeus em Belém.

 

Herodes, o rei da Judeia na época, ficou alarmado com a chegada dos magos, pois temia perder seu poder. Toda Jerusalém também se alarmou, não só pela chegada dos magos, mas pelo temor de uma possível mudança política. Isso reflete a ambiguidade das expectativas das pessoas naquele tempo, desejando a vinda do Messias, mas temendo as consequências.

 

Expectativa generalizada

 

O episódio dos magos ilustra que, mesmo fora do território judeu, a expectativa do nascimento de uma criança especial se espalhou. O texto bíblico destaca a dualidade entre os que, como os magos, buscavam sinceramente o Messias, e os oportunistas, representados por Herodes, que viam a chegada do Messias como uma ameaça ao seu poder.

 

O texto bíblico de Mateus 2:1 em diante narra a visita dos magos a Jerusalém e a percepção de Herodes sobre a ameaça ao seu reinado. O imperador megalomaníaco e paranoico, via em qualquer possível rival uma ameaça ao seu trono, resultando em atos cruéis, como o assassinato de sua esposa e filhos.

 

Ninguém quis ceder

 

Muitos desejavam os benefícios trazidos pelo Messias, mas não estavam dispostos a compromissos, entrega ou negação do ego. E mesmo hoje, muitos preferem as benesses do Natal, mas relutam em se entregar verdadeiramente a Deus.

 

Embora houvesse pessoas sinceras em Jerusalém esperando o Messias, a maioria compartilhava do mesmo temor de perder as comodidades de suas vidas, indicando uma falta de comprometimento verdadeiro com as implicações da vinda do Messias.

 

Assim como na época dos magos, a história se repete hoje, com muitos focando nas celebrações natalinas, nos presentes consumistas e nos símbolos tradicionais, mas esquecendo do verdadeiro significado do Natal: o nascimento do Salvador.

Aprenda mais sobre a Bíblia

Por aqui, não há limites para se aprofundar nas Escrituras Sagradas. Inscreva-se abaixo para receber conteúdos sobre a Bíblia, a Arqueologia e muito mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ CONTEÚDO
sinagoga
Arqueologia Bíblica
Equipe Rodrigo Silva
A Sinagoga onde Jesus Pregou

A história da sinagoga onde Jesus pregou é fascinante e cheia de descobertas arqueológicas emocionantes. Vamos explorar mais sobre esse local sagrado que desempenhou um

Ler mais »
cafarnaum
Arqueologia Bíblica
Equipe Rodrigo Silva
Cafarnaum: O Endereço de Jesus

No início de Seu ministério público, Jesus fez uma mudança significativa em sua residência, deixando Nazaré para viver em Cafarnaum. Essa transição é marcada pelo

Ler mais »
sonho de faraó
Dúvidas Bíblicas
Equipe Rodrigo Silva
O sonho do Faraó

Na saga de José, o rei do Egito conhecido como Faraó permanece como uma figura misteriosa e recorrente. Apesar da frequente menção a “Faraó” nas

Ler mais »
paulo
Dúvidas Bíblicas
Equipe Rodrigo Silva
Paulo, o Artesão de Tendas

Na história bíblica, encontramos um personagem fascinante chamado Paulo, que desempenhou um papel fundamental na propagação do cristianismo. Além de ser um apóstolo e um

Ler mais »
lei
Devocional
Equipe Rodrigo Silva
O principal mandamento da Lei

Nos Evangelhos, há um momento crucial em que um doutor da lei se aproxima de Jesus com uma pergunta desafiadora: “Qual é o principal mandamento

Ler mais »
a batalha de gog e magog
Dúvidas Bíblicas
Equipe Rodrigo Silva
A batalha de Gog e Magog

Falar sobre Gog e Magog é apenas uma degustação—espera, essa palavra não é bem adequada. É mais como uma prévia. Hoje, estamos oferecendo um vislumbre

Ler mais »