O lugar da crucificação de Jesus

Por <b>Rodrigo Silva</b>

Por Rodrigo Silva

Arqueólogo

O Gólgota, também conhecido como o Calvário, é o local onde Jesus Cristo foi crucificado e morreu. Mas, como era esse lugar? E onde ele está localizado? Neste texto, abordarei algumas informações a respeito do lugar da crucificação de Jesus, tão importante no episódio da morte de Jesus.

 

O lugar da crucificação de Jesus
Continue lendo para saber onde a Gólgota fica localizada atualmente. | Foto: Pixabay.

Gólgota

Depois de ser humilhado e assediado carregando sua cruz pelas ruas lotadas de espectadores furiosos, levando ao local da execução, Jesus de Nazaré foi crucificado em “um lugar chamado Gólgota, isto é, o lugar da caveira” (Mateus 27:33).

 

Gólgota está localizada em Jerusalém, na atual Israel. O nome “Gólgota” vem do hebraico “Gulgoleth”, que significa “caveira”, (em aramaico é Gûlgaltâ e o equivalente grego é kranion). Na descrição da Bíblia, Jesus foi levado para a colina do Calvário, também conhecida como apenas Calvário, para ser morto e torturado publicamente.

 

O lugar onde Jesus foi crucificado era um local público de execuções fora dos muros da cidade de Jerusalém. É possível que tenha sido uma colina natural, mas alguns estudiosos sugerem que ela foi construída pelos romanos para ser usada como um local de execução. Embora não existam evidências físicas do local exato da crucificação de Jesus, a tradição aponta esse lugar como lugar onde ele foi crucificado.

 

Na época de Adriano, em 135 d.C., ocorreram mudanças significativas na geografia do lugar, incluindo a construção de templos para divindades romanas como Afrodite e Júpiter, em Jerusalém, que passou a ser chamada de “Aelia Capitolina” pelos romanos.

De acordo com Jerome Murphy-O’Connor, apesar das alegações de Jerônimo e de textos bizantinos tardios, o local mais provável do templo é, na verdade, o Santo Sepulcro. Essa é uma afirmação interessante,  uma vez que em 326 d.C., o filho de Helena, Constantino, iniciou a construção da Igreja do Santo Sepulcro, que abrange a Gólgota – o local da crucificação – e o túmulo de José de Arimatéia, onde Jesus foi sepultado e ressuscitou.

Em seu Guia Arqueológico de Oxford, Murphy-O’Connor resume a história e a arqueologia da Igreja do Santo Sepulcro e considera as possibilidades de alternativas. Ele conclui que “muito provavelmente” este é o lugar onde Cristo morreu e foi sepultado.

 

 

A Basílica do Santo Sepulcro

Hoje, o espaço considerado o lugar da crucificação de Jesus se tornou a Basílica do Santo Sepulcro. Essa história tem início quando o imperador Constantino enviou sua mãe, Helena, a Israel no século IV d.C., visando encontrar a Vera Cruz de Jesus. Em sua busca, ela encontrou alguns artefatos que indicavam que ali teria sido localizado o Monte Calvário (Gólgota), onde Jesus foi crucificado.

 

O imperador então destruiu o templo romano sob a colina (um templo feito em honra à deusa Afrodite), para cavar e encontrar possíveis novos artefatos, e teve como resultado o achado de túmulos judaicos escavados na pedra. Um templo ali foi construído e ampliado com o passar dos anos, destruído e restaurado algumas vezes, até se tornar a Basílica do Santo Sepulcro.

 

Hoje em dia, seis comunidades cristãs diferentes como gregos, armênios, etíopes, sírios, coptas e franciscanos preservam e visitam o lugar. Embora a interação entre eles seja quase inexistente, a mistura de culturas, rituais e cânticos de cada grupo torna o Santo Sepulcro um lugar muito rico e plural para a experiência dos visitantes, independente de qual for a sua crença.

 

 

Gólgota na Bíblia

As referências ao lugar da crucificação podem ser encontradas nos Evangelhos, nas seguintes passagens:

“E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram e aos malfeitores, um, à direita, e outro, à esquerda.” (Lucas 23:33)

“Chegaram a um lugar conhecido como Gólgota, que significa Lugar da Caveira.”  (Mateus 27:33).

“Levaram Jesus ao lugar chamado Gólgota, que quer dizer Lugar da Caveira.” (Marcos 15:22)

 

A crucificação como método de tortura

A crucificação foi uma das formas mais cruéis e desumanas de punição utilizadas na Antiguidade. No mundo romano, essa técnica de tortura era destinada a criminosos considerados perigosos, como rebeldes e todo tipo de gente que desafiava a autoridade romana. A prática consistia em prender a vítima em uma cruz de madeira, onde ela era deixada exposta sob o sol e o tempo, sem qualquer tipo de conforto ou assistência médica.

O processo de crucificação causava à vítima uma morte lenta e agonizante. A falta de alimentação e água, a exposição ao sol e o sangramento provocado pelas perfurações dos pregos em suas mãos e pés, levavam a uma morte por exaustão e asfixia. A cruz onde a vítima era presa era posta em um local público propositalmente, para que outras pessoas pudessem assistir e entender as consequências de seus atos.

Apesar da crueldade inerente à crucificação, ela era vista pelos romanos como uma forma eficaz de dissuadir outras pessoas de cometerem crimes semelhantes. A mensagem era clara: quem desafiasse o poder romano seria punido de forma cruel e sem piedade.

Com o tempo, a crucificação foi abolida como pena de morte, principalmente após a conversão do Império Romano ao cristianismo, no seculo IV depois de Cristo.

 

Estude arqueologia bíblica com Rodrigo Silva

Se você ficou fascinado com as descobertas arqueológicas que ajudam a entender mais sobre a história da Bíblia e deseja aprofundar ainda mais seus conhecimentos sobre outros tópicos similares a este relacionado à Gólgota, eu tenho o prazer de apresentar o curso “A Bíblia Comentada“. Neste curso, você poderá explorar as riquezas da arqueologia bíblica e aprofundar seus conhecimentos sobre a história da Bíblia e seu contexto histórico e cultural. Com a minha orientação e a de outros professores convidados, você irá participar de aulas semanais que abordam as mais recentes descobertas arqueológicas relacionadas à Bíblia.

Aprenda mais sobre a Bíblia

Por aqui, não há limites para se aprofundar nas Escrituras Sagradas. Inscreva-se abaixo para receber conteúdos sobre a Bíblia, a Arqueologia e muito mais.

22 respostas

  1. Deus é bom o tempo todo. É maravilhoso conhecer e crer nesse nosso Deus que nos amou, nos escolheu, nos salvou e veio ao nosso encontro graciosamente dando-nos o perdão. O Deus todo poderoso, Criador de tudo. SENHOR. DEUS, PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO, TU ÉS UM DEUS SEMPRE PRESENTE, PURO, PODEROSO, PROVEDOR, PERDOADOR E PROTETOR, TEU É O REIO, O PODER E A GLORIA PARA SEMPRE, AMÉM.

  2. Gostei muito dessa explicação do lugar …e de todo o conteúdo explicado…amo suas aulas…. gostaria de receber mais…. gratidão.

  3. Tenho certeza Professor Rodrigo, que você ficará marcado na história, como o descobridor e entendedor de tantas coisas da Bíblia Sagrada. Mas também como um professor que trouxe a luz para muitos alunos como eu.
    Muito obrigado.

    Sérgio Roberto Lyra

    1. Sem dúvidas, mais importante do que qualquer coisa é fazer parte da trajetória de pessoas como você, Sérgio. Fique com Deus e continue estudando a Bíblia!

  4. É sempre bom ler os textos publicados por você Rodrigo Silva e equipe. Me sinto feliz e agradeço a Deus pelo dia em que conheci você aqui pela Internet. Peço a Deus que um dia eu possa estar pessoalmente na sua presença para poder lhe dar um abraço. Moro em Ibiá-MG.

  5. Eu amei saber mais da história do meu Senhor Jesus. O seu trabalho e o da sua equipe, Rodrigo, contribuem para a fé cristã, e nós ajuda a compreender os acontecimentos históricos e culturais, e nós aproxima de Nosso Senhor Jesus. Com certeza o Espírito Santo🕊🔥 impulsiona o trabalho de vcs. Glória a Jesus🙏❤️✝️🙌

  6. Desejo muito me aprofundar no conhecimento…mas não sei como estudar profundamente…
    Então acompanho seus posts pra maior conhecimento e entendimento…obrigado

    1. Ficamos muito felizes com o seu comentário, Selma. É justamente para ajudar as pessoas a compreender a Bíblia que esse blog existe!

  7. Maravilhoso o texto……estive em Israel foi impactante ,emocionei- me até lendo as placas que indicação referências bíblicas…..espero em DEUS para um dia ser guiada pelo mestre RODRIGO SILVA

  8. Sempre que lemos a respeito da morte de Jesus nos impacta; é como se levássemos um soco no estômago. No entanto, por mais que nos esforcemos não conseguimos seguir os seus ensinamentos. Amar o inimigo é o mais difícil de todas. O que nos consola é quando nos diz que “sem mim nada podeis fazer”.
    Explicações excelentes a respeito da localização. O importante é saber que nalguma parte daquela cidade nosso Mestre foi crucificado por nossa culpa e nos lavou. Que ele nos dê forças para honrar o seu sacrifício e o seu sangue derramado por nós.

  9. ” Ao ver a cruz meu rude coração fica em silêncio em meio a tanto horror”…
    Mesmo sendo um texto acadêmico me sinto profundamente tocada pelo Espírito Santo.
    Obrigada pela oportunidade.
    Deus te abençoe sempre 🙏🙌

  10. Fico muito edificada com tanto conhecimento bíblico, que o Eterno continue lhe usando para nós esclarecer e tirarmos as dúvidas que temos em relação a palavra obrigada.

  11. Muito bom , meu irmão, Deus te usar pra nós mostrar fatos , realidades acontecidas no lugar onde realmente tudo aconteceu é sempre um previlegio aprender ainda mais, Deus te abençoe mais e mais .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ CONTEÚDO
profetas menores
Dúvidas Bíblicas
Equipe Rodrigo Silva
Profetas Menores – Parte 2

Os livros dos Profetas Menores são uma coleção de escritos de profetas distintos. Apesar do nome, essas obras possuem uma importância significativa, e o termo

Ler mais »
Oseias
Devocional
Equipe Rodrigo Silva
Quem foi Oseias?

Oseias é um persongem na Bíblia, conhecido por sua mensagem impactante sobre o amor incondicional e a fidelidade de Deus ao Seu povo. Neste blog,

Ler mais »
roboão
Dúvidas Bíblicas
Equipe Rodrigo Silva
Quem foi Roboão na Bíblia?

Roboão foi o filho de Salomão e neto de Davi, dois dos reis mais famosos de Israel. Sua história é uma mistura de poder, decisões

Ler mais »
belsazar
Arqueologia Bíblica
Equipe Rodrigo Silva
A redescoberta de Belsazar

A história da redescoberta de Belsazar é um dos capítulos mais fascinantes e surpreendentes da arqueologia bíblica. Durante anos, a existência de Belsazar foi contestada

Ler mais »
débora
Devocional
Equipe Rodrigo Silva
Débora: uma juíza na Bíblia

Existem muitas mulheres fortes e exemplares na Bíblia. Nesse texto vamos explorar a história de Débora, uma juíza corajosa e inspiradora mencionada no livro de

Ler mais »
judeia
Arqueologia Bíblica
Equipe Rodrigo Silva
Como Roma invadiu a Judeia?

Em 63 a.C., Roma invadiu Israel e dominou Jerusalém, lançando o povo judeu em uma era de incertezas e revoltas constantes. Neste artigo, exploraremos o

Ler mais »